fbpx
herpes labial

Herpes na labial: Causas, sintomas e como tratar!

O herpes labial é uma condição muito comum, e pode acometer pessoas de todas as idades. Isso porque se trata de um vírus facilmente transmissível e presente na maioria da população mundial.

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player!

Ainda que não seja uma condição grave e que não apresente sintomas muito preocupantes, ela costuma lesionar os cantos dos lábios. E isso pode prejudicar bastante a aparência.

Para falar em mais detalhes acerca desse assunto, explicamos as causas do problema, em como o modo de tratá-lo adequadamente. Elucidamos também os sintomas que costumam aparecer durante a manifestação do vírus. Confira!

Economize com dentista! Faça um plano odontológico pagando a partir de R$ 24,93 e tenha acesso a mais de 28mil dentistas no Brasil!


O que é herpes labial? Quais são suas causas e sintomas?

herpes labial

Em linhas gerais, o herpes labial é uma infecção contagiosa causada por um vírus conhecido como herpes simplex (HSV – 1).

Esse vírus está presente em cerca de 90% de toda a população do planeta, mas apenas parte dessa parcela manifesta os sintomas causados por ele.

E um dos motivos pelos quais essas pessoas manifestam esses sintomas é a baixa imunidade.

As condições que afetam as defesas do indivíduo contra doenças são o estresse e a debilitação por doenças como os resfriados.

Quando se apresentam essas circunstâncias, o vírus que até então estava instalado nos gânglios sem se manifestar passa a agir de fato.

É importante ressaltar também que esse vírus costuma se manifestar principalmente no verão.

Isso acontece por conta do calor excessivo, o qual pode também contribuir para a diminuir a imunidade do organismo.

O período de incubação do HSV – 1 após o contágio pode variar entre 2 e 26 dias.

Entre os sintomas do herpes labial, o mais comum é a formação de um agrupamento de pequenas bolhas nos cantos dos lábios. Elas podem aparecer também nos lábios inferiores ou superiores.

A manifestação desse sintoma pode ocorrer de 4 a 6 dias depois de haver a contaminação. No entanto, a grande maioria das pessoas não apresenta o sintoma.

Em alguns casos, o vírus pode ocasionar ainda o surgimento de ínguas, dores musculares e febres.

Como tratar herpes labial?

Caso não recebam o tratamento adequado, as bolhas e erupções causadas pelo vírus HSV – 1 costumam desaparecer entre e 7 e 14 dias.

Mas é possível aliviar os incômodos dessa condição e fazer com que esse sintoma desapareça de maneira mais rápida. Com essa finalidade, pode-se tomar medicamentos antivirais.

Contudo, pode haver recorrência desse mesmo sintoma várias vezes dentro de um período de tempo. Isso ocorre pela permanência do vírus no organismo em estado de latência.

Essa permanência, aliada a condições que propiciam a manifestação do vírus, podem desencadear novamente a infecção.

Nesses casos, o mais recomendado é tomar os medicamentos antivirais assim que os primeiros sinais das bolhas aparecerem, de modo a evitar os ferimentos.

Em casos de recorrências constantes, um médico deve ser imediatamente consultado.

Pode-se também aplicar compressas feitas a partir de substância antissépticas, contato que não sejam abrasivas.

Existem ainda soluções tópicas. Pode-se reduzir com as pomadas e cremes antivirais o tempo de presença das bolhas.

Em casos de herpes lábias leves ou moderadas, a ação dessas pomadas pode ser sentida em um dia ou até em apenas algumas horas.

Entre as medicações mais utilizadas para tratar o problema, podemos indicar a Nistatina, o Canditrat, o Aciclovir e o Ezopen.

Herpes labial: um problema que pode ser facilmente tratado

A partir do que foi dito acima, podemos concluir que esse herpes não exige um tratamento complexo ou maiores preocupações. No entanto, ele pode revelar uma condição de saúde que exige cuidados.

Isso porque o herpes labial tem como principal causa a baixa imunidade do organismo, que o deixa exposto a várias doenças.

E você, já teve que tratar herpes labial? Tem alguma dica que pode ser adotada para tratá-la? Conte-nos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *